O Município

Dados do município

Dados do município/localização

Fundação: 22/10/1870
Emancipação Política: 22 DE OUTUBRO DE 1870
Gentílico: SOLONOPOLENSE
Unidade Federatíva: CE
Mesoregião: SERTÕES CEARENSES
Microregião: SERTÃO DE SENADOR POMPEU
Distância para a capital: 272,00

Dados de características geográficas

Área: 1.536,15
População estimada: 18127
Densidade: 11,80
Altitude: 155
Clima: CLIMA SEMIÁRIDO
Fuso Horário: UTC-3
Solonópole se tornou distrito de Jaguaribe-Mirim ainda com o antigo nome Cachoeira, em 1863. Em 1870 se emancipou de Jaguaribe-Mirim, elevado à categoria de vila. Em 1892 é rebaixada a distrito de Jaguaribe-Mirim, mas em 1893 é novamente elevada à categoria de vila. Em 1911 são criados 2 distritos: Flores Novas e São Bernardo. Em 1931 Cachoeira é de novo rebaixada à categoria de distrito de Jaguaribe-Mirim, mas em 1935 é emancipada (pela terceira vez), e anexa seus 3 antigos distritos (Carnaubinha, Flores Novas e São Bernardo). Em 1936 mais 4 distritos são criados: Boqueirão, Cangati, Conceição e Pasta. Em 1937 Flores Novas muda o nome para Flores e é criado o distrito de Milhã. Em 1938 o distrito Flores volta a se chamar Flores Novas e o distrito Boqueirão foi rebaixado a povoado. Em 1943 o município Cachoeira muda o nome para Solonópole e o distrito São Bernardo muda o nome para Tataíra. Em 1959 Carnaubinha e Milhã se desmembram para formar o novo município de Milhã. Em 1963 Flores Novas se desmembra de Solonópole para formar o novo município de Flores. Em 1963 o distrito Pasta se emancipa de Solonópole. Em 1963 Tataíra também se emancipa de Solonópole, e muda o nome para São Bernardo do Ceará. Em 1964 é criado o distrito de Assunção. Em 1965 Solonópole anexou o território de 4 municípios extintos, que eram seus ex-distritos: Milhã (que veio junto com o distrito Carnaubinha), Pasta, São José de Solonópole (ex-Flores) e São Bernardo do Ceará (que mudou o nome para Tataíra). Em 1986 Carnaubinha e Milhã novamente se desmembram para formar o novo município de Milhã. Em 1988 Tataíra se desmembra de Solonópole e muda o nome para Deputado Irapuan Pinheiro. Em 1991 é criado o distrito de Prefeita Suely Pinheiro.
No início do Século XVIII, o colonizador Manoel Pinheiro do Lago fundou a Fazenda Umari, de onde se originou a cidade de Solonópole.

Narrativas estão ligadas à vida religiosa do município e a mais importante é que se refere ao Padroeiro, Bom Jesus Aparecido de Cachoeira. Conta a história da cidade que certo dia, ao cair da tarde, um escravo apascentava o rebanho da Fazenda Cachoeira, do tenente-general Manoel Pinheiro, quando viu reluzir, por entre o matagal escasso, um objeto de metal. O negro aproximou-se e viu que se tratava de um belo crucifixo, de pouco mais de um palmo. Cheio de alegria, o negro abandonou as ovelhas e correu até a casa-grande para levar a novidade aos seus patrões.

A esposa do fazendeiro, D. Rita das Dores Pinheiro, ficou a um tempo surpresa e alegre com o preciso achado, apressando-se em colocá-lo no santuário. Entretanto, nas primeiras horas do dia seguinte, era notada a falta do crucifixo que, depois de vasculhadas todas as dependências do casarão, veio a ser encontrado no exato local onde fora achado pelo escravo. D. Rita, confusa, guardou a pequena cruz dentro de um baú de couro, fechando-o com muita segurança. Qual não foi a sua surpresa, e de todos da fazenda, quando no outro dia o crucifixo não se encontrava no baú a despeito de não haver, o mesmo, sido violado. D. Rita, meio aterrorizada, reuniu os familiares e fez a promessa de mandar construir uma capela e nela depositar, caso fosse encontrada, a imagem do crucifixo. Passada a noite, foi o baú aberto e lá estava o crucifixo, como se nada houvesse acontecido. Construída a capela, a imagem foi exposta à visitação e veneração dos fiéis.

Outra narrativa importante é a que se relaciona com o primeiro milagre obtido do santo crucifixo. Conduzido por Maria de São José, muda, filha de Simeão Correia Lima Landim e Ana Rosa Pinheiro, restituiu a voz à sua condutora em plena caminhada. A partir de então se iniciou a romaria constante à fazenda e vários milagres aconteceram, atribuídos ao Bom Jesus Aparecido da Cachoeira do Riacho do Sangue. Em 1821, os serviços da matriz eram concluídos e a partir de 19 de dezembro, instituído o seu paroquiato, sendo primeiro vigário o padre Pedro Pinheiro Landim.

Depois de idas e vindas (várias leis e decretos elevaram e rebaixaram foros de cidade), com o decreto-lei 448, de 20 de dezembro de 1938, foi elevado a município.
Originalmente denominada Cachoeira do Riacho do Sangue, em virtude da existência de uma queda de água no leito do Riacho do Sangue e depois apenas Cachoeira. Há mais de uma versão sobre o nome Riacho do Sangue, e uma delas é a luta entre duas famílias pelo domínio da terra, tingindo de sangue as águas do rio, nas proximidades do lugar chamado Alto da Batalha, abaixo da cidade, ainda existente; a outra é de uma luta entre índios, no lugar chamado Logradouro.

Em 30 de dezembro de 1943, através do Decreto n° 1.114, passou a se denominar Solonópole, que significa Cidade de Solon em homenagem a Manoel Solon Rodrigues Pinheiro, advogado, jornalista e professor nascido no município.
Atualmente Solonópole possui 6 distritos:

São José: 28 de setembro de 1902
Cangati: 3 de maio de 1935
Pasta: 22 novembro de 1951
Assunção: 7 de janeiro de 1964
Prefeita Suelly: 24 de dezembro 1991
As principais fontes de riquezas do município são principalmente a agricultura e a pecuária, com destaque para as culturas do algodão, milho, arroz, feijão, batata-doce e cana-de-açúcar. A pecuária é a atividade que mais contribui para a economia municipal.

Brasão do Município de Solonópole

Escudo: Representado na cor de ouro, contornado por um listel verde onde se encontram seis estrelas e ao centro uma pedra lapidada. Nas laterais do Brasão figurão dois ramos de algodão.
Estrelas: Representam a sede e os distritos de Solonópole.(Sede, São José de Solonópole, Cangati, Pasta, Assunção e Prefeita Suêlly);
Pedra lapidada: Representa o Berilo, pedra semipreciosa encontrada no município;
Ramos de Algodão: Representa o principal produto agricóla do município;
Sol: Representa a luz, energia, vitalidade;
Pessoas: Ícone humanizado representa ser Solonópole um município de todos;
Boi: Retrata a pecuária, forte atividade do município;
Margens e rio: Representa o Riacho do Sangue, que originalmente deu nome a cidade.

Bandeira do Município de Solonópole

A Bandeira de Solonópole é um dos símbolos oficiais do município de Solonópole, estado do Ceará, Brasil. O desenho atual foi estabelecido por lei municipal Nº 1138/2013.

Descrição
Seu desenho consiste em quatro triângulos, sendo o superior e o inferior na cor verde e os laterais na cor amarela, tendo no centro o Brasão do Município. As cores, no caso verde e amarelo, são as mesmas cores da Bandeira Nacional;

NOTÍCIAS

#Festa | 28 DE ABRIL DE 2021

Para concorrer aos prêmios, evento, as mães que residem no município devem se increver no link abaixo ou nas escolas da rede municipal.

#Saúde | 27 DE ABRIL DE 2021

A ação teve início no sábado (24) e se estende nesta semana a todos os postos de saúde do município .

#Desenvolvimento | 23 DE ABRIL DE 2021

Para o segundo lote, os beneficiários devem aguardar o contato da equipe da Secretaria de Desenvolvimento Social, responsável pela distribuição.

#Administração | 23 DE ABRIL DE 2021

O intuito da visita foi conhecer programas e ações êxitosas dentro da gestão municipal

#Segurança | 22 DE ABRIL DE 2021

O intuito das equipes é inibir a movimentação, especialmente, em localidades como a Paredinha, Bispado, Nobreza e Boqueirão.

Qual o seu nível de satisfação com essa página?


Muito insatisfeito

Um pouco insatisfeito

Neutro

Um pouco satisfeito

Muito satisfeito